Group 21Group 22
2
Click outside or press esc to close

Filipinas: um bom começo!

By Instituto Brasilipino

Last update at 05/04/20215 Min.

 Longe de ser um destino popular entre os brasileiros, as Filipinas se mostra um país no mínimo interessante para viagens de férias, seja pelos lugares paradisíacos, cultura rica e semelhante à nossa ou por certa posição de "vantagem" de nossa moeda, o Real Brasileiro, em relação ao Peso Filipino. Não é segredo que os lugares mais procurados por nós para viagens internacionais fiquem entre as Américas e a Europa. No primeiro caso contamos com uma distância menor e com as semelhanças culturais em termos de América Latina. Já se tomarmos os Estados Unidos e o Canadá, as razões passam pelo desenvolvimento. Países da Europa, por sua vez, são o berço da civilização ocidental, logo, não é difícil deduzir que parte dos turistas buscam programas culturais e/ou conexão com os antepassados além, é claro, da visitação a pontos turísticos clássicos como a Torre Eiffel em Paris e os Canais de Veneza, na Itália. Mas e as Filipinas? Porque está praticamente fora da rota brasileira do turismo internacional?Pode parecer um país pobre se levarmos em consideração o povo humilde e condições de habitação, mas está dentre os países que mais cresceram na Ásia nos últimos anos, algumas vezes ultrapassando até mesmo a China. A capital Manila tem sido um constante canteiro de obras e basta se hospedar em um dos vários edifícios residenciais para observar a quantidade de arranha-céus pela cidade. Os shopping centers, sempre lotados, são evidência de uma economia aquecida no país que abriga o maior deles: o SM Mall of Asia.  
  Em termos de segurança, já foi um país bastante complicado principalmente para estrangeiros ocidentais que, por ter uma aparência diferenciada dos habitantes locais, acabavam sendo alvos fáceis de golpes e assaltos dentre outros crimes. Essa realidade mudou após a eleição do atual presidente, Rodrigo Duterte, que implementou uma política dura em relação ao tráfico de drogas (postura que tem sido criticada com bastante frequência, mas que deu resultados e conquistou o apoio da população). Atualmente, o país tem sido seguro aos turistas do mundo todo. A única exceção é em relação à região sul (Mindanao) onde o exército tem combatido terroristas islâmicos e garantido importantes vitórias como o caso da pequena cidade de Marawi onde o principal alvo foram turistas.No entanto, os melhores lugares não são tão próximos a Manila. Tem-se, por exemplo, a possibilidade de conhecer o Underground River (rio embaixo da terra) na região de Palawan, uma das sete maravilhas da natureza, juntamente com as nossas Cataratas do Iguaçu, na divisa do Brasil com a Argentina. Há, também, a ilha de Boracay, com praias impressionantes e um dos destinos mais populares no país. Outro lugar interessante é a ilha de Guimaras onde é possível ter uma estadia bastante agradável por um preço mais do que acessível. Tanto Boracay quanto Guimaras pertencem à província de Iloilo, ao sul da capital mas longe de Mindanao.  
  Em qualquer lugar das Filipinas será possível observar traços da cultura ibérica, pois o país foi colonizado pela Espanha aproximadamente na mesma época em que o Brasil por Portugal. E é aí que a história dos dois países se mescla, pois a disputa entre os colonizadores pelos territórios levou a um acordo assinado no século 18 separando um para cada (Brasil para Portugal e Filipinas para a Espanha). Então, o que se observa nos idiomas nativos como o Tagalo, o Cebuano e o Ilongo, por exemplo, são vários termos adotados tanto do espanhol quanto do português. Outro fator de convergência é a culinária onde alguns dos pratos clássicos são versões do que conhecemos aqui como o porco assado Lechon (semelhante ao leitão assado brasileiro) ou o Lecheflan (pudim de leite).Contudo, ao final da guerra espanhola, os EUA "compraram" a ilha e passaram a implementar sua cultura e a investir no país, deixando vários traços como o Inglês sendo um dos idiomas oficiais. Hoje os Filipinos são considerados os melhores falantes de inglês da Ásia. Outro detalhe é a grande rede de franquias populares, como o 7Eleven, KFC e Starbucks, além da cultura de consumo que agita a economia, tudo isso sem perder os traços coloniais conectados à própria cultura asiática dos arredores.Pode-se pensar que por ter franquias americanas os preços acabam sendo impraticáveis, mas não é verdade. Para se ter uma ideia, uma refeição padrão no McDonald's (arroz e frango frito também são fast food por lá) fica em torno de 50 a 100 Pesos, o que a um fator de conversão de 15 Pesos para um Real (valor aproximado que depende do câmbio) nos dá menos de R$ 10. Logo, a um valor de aproximadamente R$ 30 por dia, pode-se sobreviver tranquilamente. É claro que isso varia conforme a sua fome, mas para viagens de baixo orçamento passa a ser um fator importante. Não tem como deixar de mencionar, também, a rede de fast food filipina chamada Jollibee que se apresenta como uma alternativa às demais e tem se expandido pelo mundo, tendo inaugurado sua loja mais recente em Nova Iorque.  
  Outros detalhes interessantes são as grandes e frequentes liquidações (principalmente de itens de vestuário, quando é possível comprar uma camiseta boa por um valor que se aproxima dos 10 reais, mas que no Brasil, se comparada a qualidade, não sairia por menos que R$ 50) e o valor de estadias que em um resort pode vir a custar em torno 3.000 PHP, equivalente a R$ 200, para duas pessoas por três dias com praticamente tudo incluso, de alimentação a passeios de barco.Com base nisso e sendo conhecedor intermediário do inglês, as Ilhas Filipinas acabam sendo um lugar bastante seguro e agradável, com um dos povos mais acolhedores e receptivos do mundo. Por serem ótimos anfitriões, a fluência no idioma não é algo tão crucial, ainda mais com ferramentas de tradução disponíveis atualmente para qualquer smartphone, equipamento essencial para o viajante internacional tanto no planejamento e administração quanto na viagem em si. A maior dificuldade tem sido, no momento, encontrar pacotes prontos de viagens ou mesmo interesse das agências de turismo em oferecê-los. Eis a função principal deste blog e do Instituto Brasilipino: te ajudar a preparar sua viagem não somente para as Filipinas, mas para os demais países do leste e sudeste asiático que têm estado fora das rotas tradicionais mas que oferecem muitas opções para os viajantes que desejam ter uma grande experiência com um investimento acessível. Para maiores informações sobre os países da Ásia, viagens, promoções e cultura siga a página do Instituto Brasilipino no Facebook. Publicamos notícias relevantes e dicas importantes para viagens internacionais em geral, com segurança e preços que cabem no seu bolso, sempre tendo como principal destinação os países do oriente. 
  O trabalho Blog Oficial do Instituto Brasilipino para integração das culturas Brasileira e Asiática de Giovani Fernandes está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.